Pages

domingo, 10 de julho de 2016

Arte e Tecnologia na Segunda Metade do Século XX




Arte e Tecnologia na Segunda Metade do Século XX: O Código como Paradigma

Deu-me um enorme prazer arguir esta bem estruturada e focada, abrangente e pedagógica, tese de doutoramento de José António Gomes de Oliveira, orientada por Margarida Acciaiuoli na Universidade Nova de Lisboa.

Esperemos que alguma editora tenha olho e publique este oportuno e útil ensaio, à semelhança do que em boa hora foi feito com a tese de doutoramento de Sandra Jürgens—Instalações Provisórias.— recentemente publicada.

Outro doutoramento recente sobre temas afins —mais pragmático, por assim dizer— é o da artista, e agora doutora-artista, Adriana Sá, no Goldsmiths's College de Londres. Arte contemporânea ou pós-contemporânea? A dita arte contemporânea é cada vez mais um fruto podre da grande especulação financeira global que anda por aí a desfazer países e a corromper pobres diabos enquanto não desaparece de vez. A arte pós-contemporânea, por outro lado, já chegou, e até a sua arqueologia começa a ser estudada, o que não deixa de revelar-se uma sintomática e boa notícia. Já agora, a história oficial da arte portuguesa contemporânea começa a implodir pelas costuras ;) Falta tão só demolir as suas corruptas instituições e a rede de cumplicidades alcandorada, quase sempre, em dinheiros públicos capturados sem legitimidade, nem vergonha. THREE NEW PhD THESIS YOU MIGHT NEED TO READ OR TEST ...if you really want to know anything useful about post-contemporary Portuguese art:
  • By Jose Antonio Gomes Oliveira: Arte e Tecnologia na Segunda Metade do século XX: O Código como Paradigma
  • By Sandra Vieira Jürgens: Instalações Provisórias
  • Adriana Sa has developed an audiovisual instrument and a corresponding compositional language, based on a perceptual approach.